Porto Alegre, 26 de agosto de 1983
Levinha, querida,
depois de 10 anos de proibição pela censura,saiu,vai aí o programa.Sou suspeito,claro,mas acho lindo.Tem tido casa cheia toda noite,crítica boa,aplausos em pé,aquelas coisas.Ando comovido e feliz.Vim pra estréia,aí recebi tanto carinho que fui ficando até hoje.Só volto pro Rio dia 5.Aproveito e mando,no fim da carta,o endereço de lá.Tá tudo indo bem.Minha cabeça melhorou demais com a saída de Sampa.Estou mergulhado na revisão das últimas provas do livro novo,o O Triângulo das águas, três novelas que chamo de "noturnos", a sair em outubro pela Nova Fronteira.Tem várias homenagens,uma delas a você...Reticências de suspense!Escrevo meio na corrida,pra aproveitar um embalinho de saudade forte.Outra noite em Gramado,falei horas sobre você.Mê de notícias,pro Rio ou pra cá(o fone daqui é 0512-33-4197).Dá um beijo em Murilo e um abraço nos guris.Diga,por favor,a Bel que penso nela com freqüência e mando nice vibes.Que você esteja feliz,em paz,produzindo.
Todo o carinho do seu velho

Caio F.
(o primo intelectualizado de Christiane)

| Por Lara | 20.11.07 | 14:23.